AO VIVO OUÇA A NOSSA PROGRAMAÇÃO

Notícias

Colombo

Mãe de Andriele fala sobre o desaparecimento da filha em Colombo

Andriele Gonçalves da Silva, de 22 anos, estudante de direito, está desaparecida desde a madrugada de quarta-feira (9). Na última vez em que foi vista, a jovem estava sozinha em seu apartamento, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, e conversava com um amigo por mensagem de vídeo quando ouviu barulhos na porta, fez uma cara de pânico e a chamada caiu.
Cleusa Gonçalves, mãe de Andriele, falou com a equipe da RICTV |Record PR e confirmou que não fala com a filha desde a última quarta-feira. Na ocasião, a jovem disse a mãe que gostaria de mudar de cidade e que estaria indo para São Paulo com um amigo chamado Felipe que teria conhecida na faculdade. Já o dono a loja onde a estudante trabalhava como vendedora também recebeu uma mensagem. No entanto, o conteúdo era um pouco diferente. De acordo com ele, ao ser indagada sobre quem era Felipe, ela disse ter conhecido o rapaz no ônibus. “Para mim era na faculdade, para o patrão era no ônibus”, afirmou Cleusa.
O desencontro de informações e o fato de que Andriele não atendeu e nem retornou as ligações da mãe fez com que a preocupação sobre seu paradeiro aumentasse. Em um dos áudio enviado à filha, a mãe chegou a dizer que chamaria a polícia, mas nem assim a resposta veio por meio de mensagem de áudio, o que comprovaria que ela realmente está bem. Desesperada, Cleusa mandou uma mensagem chorando “Andriele, minha filha, pelo amor de Deus fala comigo. Fala comigo. A mãe está desesperada”. Em resposta, mais uma vez, apenas curtas mensagens de texto: Mãe, já disse. Tô aqui e está tudo certo. Fiz amizade e vou viajar.

 

 

A mãe acredita que outra pessoa estaria respondendo como se fosse Andriele. “A gente sentia que não era ela pelo modo de escrever. E quando eu liguei para ela, várias vezes, ela não atendeu o celular. E é eu ligar e ela já me atende. Ela retornou a mensagem por escrito, mas totalmente diferente do que é a minha filha”, conta.

Chamada de vídeo


A angústia cresceu quando Cleusa conseguiu falar com um amigo da filha que vive em São Paulo. Era com ele que Andriele falava por chamada de vídeo quando alguma coisa aconteceu e ela desapareceu.
Por mensagens de texto, ele contou a mulher sobre o que aconteceu naquela quarta-feira. Segundo o jovem, os dois conversavam quando ela fez uma cara de espanto e desligou o celular. Em seguida, ele mandou uma mensagem dizendo que estava preocupado. Uma hora depois, a resposta veio por mensagem de texto.

 

Ele, seria o ex-marido de Andriele, um policial militar. Os dois estão separados há seis meses. Cleusa conta que a filha não queria mais o relacionamento, mas que o marido não aceitava. “Ela só dizia, o Diogo não vai entender porque sempre quando eu falo que quero me separar, ele começa a fazer drama. Chantagem com ela, no caso, ela dizia”, afirmou.

Na última vez que foi vista, na conversa por vídeo, a jovem estava em casa, no

mesmo apartamento que morou com o ex-marido antes do fim do

relacionamento. Os dois não chegaram a casar oficialmente, mas viveram juntos

durante quatro anos. 


Comportamento agressivo


Cleusa conta que o comportamento agressivo do então marido contribuiu para

que a estudante desejasse o fim do relacionamento. “No começo do casamento

ele trancou ela em um quarto. Ela chegou a passar mal. Ele deixou ela

praticamente uma noite inteira trancada” afirmou a mãe que diz não saber o que

teria motivado tal ação. “Na época ela era nova, era apaixonada por ele. Ela me

contou. Eu conversei com ele, dei muito conselho e eles continuaram vivendo”

disse à equipe de reportagem. De acordo com ela, a filha nunca se queixou de

agressões ou outras violências, apenas que ele era grosso quando estava

estressado com o trabalho.


Depois do desaparecimento de Andriele, a mãe procurou o ex-marido já que

mesmo separados, ele ainda tinha as chaves do apartamento. Na conversa, ele

disse que não encontrou a ex-companheira no local.

 

Com informações desencontradas, a mãe resolveu procurar a polícia e solicitou uma investigação para o desaparecimento da filha. Ela chegou a ir até o apartamento de Andriele junto com policiais. O ex-genro também estava lá.
“Eu estranhei porque ele estava com muitos arranhões, no pescoço, no rosto. Eu perguntei vocês brigaram? Ele respondeu não. E esses arranhões? Foi em uma ocorrência que eu tive. Aí, eu perguntei para ele: Com qual mochila que a Adriele foi embora, Diogo? Ele derrepente me respondeu: Com uma mochila preta. Ai eu disse, como você sabe que é uma mochila preta se você disse que não estava no apartamento. Aí, ele se calou”, conta Cleusa sobre a conversa entre os dois.
A família de Andrile informou que Diogo, o ex-marido, encontra-se internado por problemas psicológicos, pois teria sofrido uma crise de pânico. A Polícia Militar confirmou a informação. 
Em nota, a PM ainda afirma que o caso está sendo conduzido pela Polícia Civil, com o apoio da Polícia Militar, no sentido de esclarecer os fatos. 



*Com informações de Maurício Freire, repórter da RICTV Curitiba

CONTATOS

(44) 3014-1115
(44) 99951-5252
paulopimentelm@gmail.com
http://radioingamar.com.br/

REDES SOCIAIS

Gerência: Paulo Pimentel
Email: paulopimentelm@gmail.com
Celular: (44) 99951-5252